quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Deus nos deu Livre Arbitrio?



Introdução

Hoje é comum ouvir dizer “que Deus deu o livre-arbítrio” ao homem, logo essa idéia vem do arminianismo; corrente teológica que serviu como antítese do calvinismo.

Os adeptos do livre-arbítrio tem uma série de dificuldades para sacramentar nas Escrituras que Deus deu essa pseudo-liberdade ao ser humano. Quando são questionados sobre essa questão, logo dizem que acreditam que Jeová deu ao homem essa “semente maligna” porque são arminianos.

A priori é verdade que muitos cristãos dizem que são arminiano porque ouviu falar “sou arminiano”, mas não tem idéia do significado “arminiano” e esse grupo normalmente é chamado de pentecostais o grupo protestante mais preguiçoso e o que menos investe no conhecimento bíblico e teológico.

Destarte, veja a biblioteca de um pastor pentecostal e compare a de um batista, presbiteriano, luterano, metodista etc. O pentecostal não tem livros de referências e teológicos somente devocionais de caráter experimental. Logo nós pentecostais somos tendenciosos á nos orgulhar de termos o Espírito Santo hoje com a mesma atuação que no dia de pentecostes, é evidente que sim, porém não justifica o desinteresse pelos estudos teológicos.

São na sua maioria os pentecostais que mais insistem em dizer que o homem tem o livre-arbítrio dado por Deus, esse tratado sobre a questão tem o objetivo de desautorizar a idéia de que Deus nos deu o livre arbítrio.

O que é livre-arbítrio?

É a liberdade que o homem tem de tomar decisões sem constrangimento e a crença de que o comportamento humano é autônomo. A idéia do livre-arbítrio supõe que não existam externas suficientes para explicar por que uma pessoa age de certa maneira.

As ações, de acordo com essa teoria do livre-arbítrio, é uma escolha livre, mesmo quando o indivíduo sabe que a ação escolhida pode trazer conseqüências graves.

Na filosofia, o sentido dessa expressão envolve a suposta capacidade humana que um homem, tem de agir totalmente sem causa, de forma totalmente caprichosa. É obvio que isso é um comportamento raro, mas os filósofos argumentam que é possível; essa colocação filosófica pode até ser possível, porem sempre a uma causa para os atos humanos. Seja ela biológica cultural ou espiritual.

O livre-arbítrio e o determinismo

Não podemos descobrir uma meia verdade para conciliar entre si o livre-arbítrio e a eleição. A palavra eleição, por si mesma, fala de limitação, ao passo que a palavra livre-arbítrio afirma que todos poderão ser salvos se o quiser; e que todos poderiam exercer a fé.

Simplesmente temos que aceitar ambos os conceitos como verdadeiros, esperando receber maior luz para entendermos, como isso pode ser. Deus se utiliza do livre-arbítrio do homem sem destruí-lo, apesar de não saber-mos exprimir de que maneira Ele o faz.

Isso nos apresenta um paradoxo, isto é, um conceito, que parece entrar em contradição. Não deveríamos diminuir o vulto da eleição procurando faze-lo ajustar ao livre-arbítrio. E nem diminuir a importância livre-arbítrio para ajustar-se a eleição.

Porque pensaria ser estranho que os mais profundos conceitos teológicos escapam a nossa nobre capacidade de expressão? A eleição muito ensina aos homens. Portanto ensinemo-la! O livre-arbítrio muito ensina aos homens. Portanto ensinemo-la quão desastrosa é!

Calvinismo, Arminianismo e o livre-arbítrio

João Calvino(1509-1564), teólogo protestante francês, líder eclesiástico e denominacional. Nasceu na Picardia, e estudou filosofia na Universidade de Paris, entre 1523 e 1527. Sua teologia reformada e seus pensamentos deram origem a corrente teológica “Calvinismo”, que é o termo apontado para as doutrinas enfatizados por João Calvino, bem como para suas idéias conforme foram interpretadas pelos eruditos do século XVIII.

Os ensinos de Calvino podem ser abordados abreviadamente em seus cinco pontos teológicos que são:

a. Eleição incondicional – Somente os escolhidos por Deus antecipadamente podem ser salvos;

b. Expiação limitada aos eleitos – Os salvos somente podem ser redimidos pela morte expiatória de Cristo;

c. Depravação total, que envolve tanto a habilidade quanto o mérito – O homem é tão depravado que não tem poder de decidir em servir a Deus, devido sua mente ser tão obscurecida pelo pecado. Por essa razão que Deus escolhe o homem por meio da eleição incondicional

d. Graça Irresistível – Quando a pessoa eleita conhece o evangelho da Graça de Deus por meio de Jesus Cristo, ele não consegue resistir então à pessoa salva passa pela expiação(redenção pelo sangue de Cristo) e entra então:

e. Na Perseverança. Ou a segurança eterna – Onde o indivíduo salvo não perde a salvação.

Dentro desses pontos do calvinismo fica evidente que o homem não tem liberdade de escolha quem é salvo é salvo e quem está perdido é perdido e não podem reverter seus desígnios.

Jacó Armínio era um teólogo Holandês(1560-1609), nasceu em Oudewater, no sul da Holanda. Estudou na Universidade de Leiden, então em Genebra, e foi ordenado no ano de 1588. De 1603 até sua morte foi professor nessa Universidade. Um de seus mestres foi Teodoro Beza, sucessor de Calvino. Isso posto, ele teve influencia do calvinismo em Genebra.

Sua teologia, pelo menos em partes pode ser considerada uma revolta contra certos elementos do calvinismo que foge a razão e aos sentidos teológicos.

Assim como “As Institutas” é a obra máxima de Calvino a “Remonstrance” é a cartilha magna de Armínio onde se encontra também em contraste com Calvino em seus cinco pontos; que veremos a seguir:

a. Deus elege ou reprova com base na fé ou na incredulidade prevista – Deus deixa que os homens decidam qual o caminho que querem seguir, e com base em sua escolha Ele os julga;

b. Cristo morreu por todos e por cada homem, embora somente os crentes sejam salvos – Á uma enorme cadeia de versículos que mostra que Cristo morreu por todos, logo João 3.16 é considerado o coração da Bíblia. Ainda que alguns como Joá Caitano negue que este texto fala do amor presente e futuro de Deus; por causa da palavra “amou – que esta no passado”. Certamente Joá Caitano se encontra tremendamente enganado, a palavra amou em grego é “agapaw agapao” que significa amar ternamente;

c. O homem é tão depravado que a graça divina é necessária tanto para fé como para as boas obras;

d. Pode-se resistir à graça divina – O homem fica livre para decidir se quer entregar-se a Deus ou não dando a ele toda a liberdade de escolha;

e. Se todos os regenerados perseveram com certeza na fé, é uma questão que exige maior investigação – Esse último ponto fica vago e em contraste com o último ponto do calvinismo, porém fica uma pequena idéia, de que a perseverança também é individual.

Em analise desses pontos do arminianismo podemos imaginar que o homem tem o livre-arbítrio total, e que os pentecostais e alguns grupos de tradicionais dizem que foi Deus quem o deu ao homem.

É fundamental fazer a breve análise desses dois posicionamentos teológicos para definirmos a questão com clareza, logo andarmos mais pelas convergências em vez das divergências. Trazendo uma breve resenha também para os amigos pentecostais que na verdade julgam ser arminianos sem mesmo saber o que isso quer dizer; ouso ainda ir mais longe a maioria não sabem nem o significado “ser pentecostal”, muito menos se podemos ser pentecostais e arminiano ao mesmo tempo.

Exegese Bíblica

“ mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás: porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.” (Gênesis 2:17 TB)

“...não...” Este imperativo logo no inicio deixa claro que Deus não deu o livre-arbítrio ao homem, logo existem outros versículos que mostram o ato imperativo de Deus contra a liberdade de escolha do homem; em relação as escolhas pecaminosas.

“ Eis que hoje eu ponho diante de vós a bênção e a maldição: a bênção, quando ouvirdes os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, que hoje vos mando; porém a maldição, se não ouvirdes os mandamentos do SENHOR, vosso Deus, e vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes.” (Deuteronômio 11:26-28 RC)

hwu tsavah” o verbo mandar e ordenar na raiz hebraica quer dizer: dar ordens,exigir obediência. Fica notório que liberdade de escolha que vem de Deus é liberdade para fazer as coisas corretamente, relacionado ao que é bom puro, santo e agradável a Deus, longe das liberdades humanas em relação ao mundo e o pecado.

Deus interfere nas ações humanas!

“ E disse o SENHOR a Moisés: Quando voltares ao Egito, atenta que faças diante de Faraó todas as maravilhas que tenho posto na tua mão; mas eu endurecerei o seu coração, para que não deixe ir o povo.” (Êxodo 4:21 RC)

qzx chazaq” endurecerei vem do verbo endurecer e as raízes hebraicas dessa palavra significa: ser forte, estar fortalecido, ficar forte, determinar com fortaleza. Deus neste texto afirma que vai endurecer o coração de Faraó, revelando sua soberania. Jamais Deus poderia agir dessa forma se ele mesmo desse a liberdade ou livre-arbítrio ao homem.

Deus se apresenta como o FORTE E DETERMINADOR das atitudes de Faraó mostrando seu controle, poder e autonomia de interferir nas ações humanas quando e como quiser sem dar explicações.

“ O SENHOR, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não os quis deixar ir.” (Êxodo 10:27 RC)

bl leb” coração tem um significado amplo em hebraico, porém as conotações bíblicas do hebraico mostra que coração é “ser interior, mente, inteligência e parte interior” sendo assim Deus interferia vorazmente no mais profundo dos sentimentos e privacidades de Faraó e digo que o faz até hoje na vida dos homens todas as vezes que for necessário.

“ Dar-lhes-ei um só coração, e porei dentro deles um novo espírito; tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne:” (Ezequiel 11:19 TB)

O texto Maximo aqui apresenta o Deus todo poderoso como o soberano absoluto e evidencia claramente que o homem pode ter só um coração e Deus o escolhe(de pedra ou de carne) e o coloca aquele que o convém neste caso é um coração de carne. Mais humano, humilde, simples e etc.

Nba ‘eben” a palavra pedra é usada aqui em termos metafóricos e significa: força, firmeza, solidez, petrificado de terror, perverso e coração duro. Mostrando que o homem tem essas características com inclinações negativas ou positivas, no texto mostra a como característica ruim por esta razão Deus o tira do homem o coração de pedra, interferindo em seu livre-arbítrio .

Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso, o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;” (Mateus 7:13 RC)

eisercomai eiserchomai” entrai significa: ingresso em algumas condições e estado de coisas. A liberdade do homem em relação a Deus é tão limitada que para entrar nos céus de glória existem condições sine qua non. Ai pergunto: Que livre-arbítrio é esse que impõe condições?

A “imposição de condições” quebra qualquer impetração de liberdade no senso comum ou incomum do homem caracterizando a limitação total do ser humano em seus próprios atos e comportamentos.

“ Respondeu-lhes: Esforçai-vos por entrar pela porta estreita, pois eu vos digo que muitos procurarão entrar e não poderão.” (Lucas 13:24 RA)

agwnizomai agonizomai esforçai-vos no texto grego significa: entrar em uma competição ou competir com adversários. Caminhar para a porta estreita é um jogo duríssimo, pois exigem renúncia e dedicação a santidade e oração. Reflexivamente liberdade ou livre-arbítrio conota “facilidades” para conquistar, exatamente oposto a referência bíblica em exegese.

“A palavra grega “agonizomai” reflete agonia, sofrimento, esforço profundo do homem para entrar na porta estreita”. Uma antítese de toda reflexibilidade do tão egoísta “arbítrio”, que é defendido pelo cristão e atribuído ao doador do mesmo, “DEUS”.

Conclusão

Minha intenção é sem duvida desequilibra a posição dos arminianos leigos que sempre declaram que DEUS deu livre-arbítrio ao homem. Fica difícil para eles mostrarem referências bíblicas e teológicas para justificar que o livre-arbítrio foi dado por Deus.

Existe uma vasta argumentação sociológica para a autorização do livre-arbítrio, mas como sociologia defende a integração humana no sistema social e libertino logo perde todo valor cristão.

E a argumentação da sociologia fica totalmente desprezada pela honesta teologia bíblia e conservadora que a bem da verdade não negocia com a libertinagem que envolve tão profundamente a igreja cristã ocidental hoje inclusive no Brasil.

Deus não deu o livre-arbítrio ao homem, essa pseud-liberdade foi uma herança que herdamos de Adão e seremos julgado por essa orgulhosa liberdade(libertinagem).

“Mas eu vos digo que de toda palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no Dia do Juízo.” (Mateus 12:36 RC)

Tem-se liberdade por que prestar contas?

“ Porque é bastante que, no tempo passado da vida, fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borracheiras, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias; e acham estranho não correrdes com eles no mesmo desenfreamento de dissolução, blasfemando de vós, os quais hão de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos;” (1 Pedro 4:3-5 RC)

Se Deus me deu livre-arbítrio porque tenho que dar contas de meus atos? E que moral Deus tem de me cobrar os atos de uma liberdade que ele me Deus?

“ Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu.” (Mateus 6:10 RC)

Quando oramos o Pai Nosso jogamos por terra o Livre-Arbítrio Humano! Deixando que a vontade dele seja feita e não a nossa.

“ Assim nos responderam eles: Nós somos servos do Deus do céu e da terra, e reedificamos a casa que há muitos anos tinha sido construída, a qual um grande rei de Israel edificou e acabou.” (Esdras 5:11 TB)

“ e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;” (Atos 2:18 RC)

“ E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.” (Romanos 6:18 RC)

“ Mas, agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.” (Romanos 6:22 RC)

doulov doulos” é escravo ou servo, pessoas que vivem abdicando dos direitos de liberdade. Nós Cristão ortodoxos e conservadores que negamos a libertinagem e lutamos para que a sã doutrina seja pregada e ensinada, renunciamos esse maldito livre-abítrio que os cristão neófitos no assunto dizem que Deus o Deu.

Somos servos de Deus e não gozamos da liberdade de fazer aquilo que é pecado, se pecamos não usamos da liberdade cristã, mas da desobediência e assim tornamos transgressores da vontade e lei de Deus.

Este estudo é uma desautorização do livre-arbítrio do Cristão, só o homem separado de Deus o tem.

“ E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Pelo que também Deus os entregou às concupiscências do seu coração, à imundícia, para desonrarem o seu corpo entre si; pois mudaram a verdade de Deus em mentira e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém!” (Romanos 1:23-25 RC)

O pecador separado de Deus tem essa liberdade(libertinagem)e Deus os entregou ao desejo(concupiscências)do seu coração, ou seja, o próprio homem desejou, ele quis o pecado.

Aos servos de Deus liberdade? Só a Cristã.

Que Deus em nome de Jesus o ajude a entender este assunto mais claramente, espero criticas e mais criticas, mas, por favor, com argumentação sólida, teológica e bíblica.

Juvenil Lino

BIBLIOGRAFIA

- Dicionário Ilustrado da bíblia, Vida Nova

- Dicionário Bíblico Universal, Vida

- Dicionário de Teologia, Vida

- Dicionário da Língua Portuguesa – Silvera Bueno

- Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, Champlim

- Bíblia Revista e Atualizada

- Bíblia Revista e Corrigida

- Bíblia de Jerusalém

- Bíblia Tradução Brasileira

- Hebraico e Grego, Strogs

- Análise, Organização e Argumentação Exegética, Juvenil Lino

4 comentários:

  1. A Paz do Senhor, varao!

    Eu postei no meu blog uma resposta para este seu estudo: http://tinyurl.com/MRLvrArbitrioR

    Por uma questão de espaço e de possibilidades de edição, achei melhor postá-lo lá.

    Fiquei a vontade para lhe escrever esta resposta porque sei que você, não só, esperava por críticas e mais críticas, mas também porque sabe o quanto o admiro e o amo em Cristo Jesus.

    Esta resposta não é, portanto, fruto de afronta mesquinha, mas de pura divergência de opiniões.

    Quando você tiver um tempo, passa lá pra conferir.

    Fica na Paz!

    Um grande abraço!

    Dovaniano.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. se possível gostaria q o senhor me respondesse .
    o livre arbítrio não significa q nós não precisamos prestar contas , assim sendo , temos em nossa lei terrena o livre arbítrio mas mesmo assim prestamos conta de nossos atos errados se enfim errarmos perante a lei .
    o que lhe faz dizer q Deus não nos dá o livre arbítrio , é pensar q este significa q não vamos prestar contas a Deus...
    Agora . porque Deus pode fazer com q nosso coração se endureça ? pra cumprir o propósito dele... e mostrar a sua soberania, Ele é poderoso e pode todas a coisas.. a liberdade existe se não não teria na bíblia .. q todas as coisas me são lícitas mas nem todas me convém.
    o problema é usamos dela pra coisas erradas...

    Se Deus não nos deu , quem deu ? . o diabo tem poder para tal coisa ? dar o poder da decisão ao ser humano é tirar a vida dele. o diabo pode tal coisa ?
    ... grata. espero resposta. b.lorraine.s@live.com

    ResponderExcluir
  3. meu Deus, tenha piedade de vos, pois deus te deu a o direito de escolher em servi-lo ou nao.
    fica assim... deus nao te impoe nada simplismente te orienta no deves fazer, se vai fazer a coisa certa é com vc.
    quem te disse que servir a deus é facil, requer dedicação e força de vontade...
    a reconcompesa vem de deus.....

    ResponderExcluir

OBRIGADO PELO SEU COMENTÁRIO.